Oi meus amores!

Venham me ver até a próxima quarta, dia 26/11.

Estou cheia de marquinhas! Venham ver!

Ficarei fora do dia 26/11 até 02/12, numa nova viagem maravilhosa.

Beijos Luana Gaúcha

marquinha

Será que é somente o sexo que fascina os homens?

Inúmeras garotas de programa, no mundo inteiro são procuradas todos os dias em virtude do sexo de boa qualidade que oferecem. Eu digo de boa qualidade porque geralmente é isso que os clientes falam. Na maioria das vezes o homem precisa que surja na sua frente uma mulher: linda, gostosa, cheirosa e que o satisfaça sem cobranças, além do valor combinado. A solução mais rápida é contratar uma garota de programa.

Agora, será que as pessoas sabem quantos desses homens acabam se apaixonando pelas garotas de programa? A proporção é bem grande, pois já fiz uma pesquisa e constatei que mais de cinquenta por cento dos homens que procuram pela profissional do sexo, um dia já deixou seu coração na “alcova”. Muitos diriam que é só pelo sexo, mas não! Definitivamente não é pelo sexo!

Nenhum dos clientes, aos quais, fiz esta pergunta respondeu que o motivo principal era o sexo.  Pois o que atrai os homens, diferentemente do que as mulheres pensam não é o sexo. Muitas vezes , os homens buscam nas garotas de programa, outras qualidades, muito além do sexo bem feito. Até porque a garota de programa considerada “top” pelos clientes não é aquela que faz grandes performances na cama, e sim aquela que sabe se entregar e sentir prazer com naturalidade. Essa é a qualidade que diferencia uma profissional do sexo das outras mulheres. Pois quando queremos ter prazer, falamos a verdade! Algo tão simples e que gera tanta polemica, a ponto de deixar os homens confusos com relação ao prazer feminino.  Bem, mas esse não é o assunto em pauta. Voltaremos as  tão faladas “garotas de programa”.

Vocês querem saber o que elas têm que tanto fascina os homens?

Em primeiro lugar: Personalidade forte, isso mesmo! As garotas de programa, falam o que pensam e o que sentem, sem medo de serem julgadas pela sociedade, pois elas já são, somente pela sua profissão.

Além desta, existem muitas outras qualidades destas profissionais que são apontadas pelos clientes antes de tocarem  no assunto do sexo. As mais comuns é que elas são divertidas, engraçadas, seguras e felizes. Esse é o ponto mais contraditório. Quem entende como  podemos ser felizes? Sim , somos felizes e justamente pela nossa profissão aprendemos a dar menos importância para coisas pequenas. Nos divertimos com a simplicidade e sabemos o que queremos. É justamente a falta de pudor que nos permite sermos felizes , sem nos importar com a opinião alheia. As garotas de programa quando se apaixonam, são sinceras e vivem intensamente o relacionamento, sem ficar tentando mudar o homem , pois sabem exatamente como eles são na integra. Então se a garota percebe que o individuo não é o que ela espera, simplesmente desiste da relação, pois não insiste numa relação sem futuro, somente para ter um homem ao seu lado. Esse não é o objetivo de uma garota. Pois não procuram relacionamentos, muito menos se importam com grandes casamentos.

A grande diferença da mulher “ normal” e da “ garota de programa é que a primeira fica mal humorada quando tem que fazer sexo com seu companheiro, e a segunda, por sua vez, fica mal humorada quando não faz sexo.

Enquanto a “donzela” sai desesperada a procura de um casamento desde sua maioridade, muitas vezes, se expondo em baladas, a “meretriz” trabalha com bom humor e planeja seu futuro sem depender de um casamento. Depois que a “boa moça de família” consegue o marido, passa seus dias reclamando, discutindo relação, rejeitando atos de carinho e relações sexuais com o marido,  se preocupando com a viagem que a vizinha fez, e ela quer fazer igual, procurando válvulas de escape em sites para mulheres casadas, entre outras atitudes nada corretas para uma mulher casada . Por sua vez, quando a profissional do sexo vive um relacionamento, simplesmente se entrega com alegria, intensidade e busca a satisfação de ambos, pois ela é confiante, sabe o que quer e só está no relacionamento porque realmente acredita que trará felicidade mutua.

E quanto a fidelidade? A garota de programa já experimentou diversos homens e relações sexuais diferentes, sempre teve muitos homens desejando-a. Será que ela ainda vai precisar de algum tipo de novidade que venha de fora para massagear seu ego durante um relacionamento sério? Enquanto a “boa moça” na maioria das vezes tem problemas de auto estima, insegurança e gosta de chamar a atenção, principalmente das outras mulheres. Como será que elas resolvem este problema de eterna insatisfação?

Esse texto foi baseado em relatos de clientes que tiveram casamentos com os dois tipos de mulheres em questão! De maneira nenhuma quero generalizar, apenas mostrar que sempre existem os dois lados da situação, mas como o outro lado todos já conhecem, resolvi mostrar o lado oculto.

Luana Gaúcha

Desde que comecei a trabalhar na área do sexo, tenho percebido que as pessoas nunca estão totalmente satisfeitas com sua situação na esfera afetiva. Falando mais abertamente a verdade é que quando estamos sozinhos , queremos estar com alguém, gerando uma busca quase que automática por esse “ alguém”. Passamos o tempo todo procurando, seja no trabalho, na academia, na rua ou qualquer lugar que seja possível encontrar  a  tão sonhada “cara metade”.

Por outro lado, quando estamos no tão almejado relacionamento, seja namoro, noivado ou casamento, chega um momento em que não estamos mais nos sentindo satisfeitos e por alguns momentos, queremos estar sozinhos . Em algumas situações, passamos a invejar as pessoas solteiras. A vontade de estar livre novamente é imensa, mas a insegurança de ficarmos sozinhos assusta e nos bloqueia. O medo da solidão é o principal responsável pela insistência em relacionamentos falidos.  As pessoas costumam encontrar outros motivos e argumentos para enfeitar e não assumir algo tão simples e até aceitável. Pois todos tem o direito de temer a solidão.

A grande diferença das duas situações é que quando estamos num relacionamento que não nos faz mais felizes, tentamos todas as formulas magicas possíveis para conseguir continuar. Nem que seja apenas fazendo de conta que está tudo bem. Milhares de profissionais nas áreas da medicina e psicologia lucram com esta situação. Afinal, qual casal já não tentou ou pelo menos pensou em fazer “terapia de casal” ? E não só os profissionais destas áreas são procurados, mas também as igrejas que já tem várias programações para casais, onde eles batem sempre na tecla de manter o casamento. Os casais, procuram agências de turismo e apostam em grandes viagens românticas, com o intuito de restaurar o casamento.  As mulheres também procuram por cursos de sedução e danças sensuais para recuperarem o interesse dos maridos. Enfim, a vontade das pessoas serem felizes nos relacionamentos é algo que move várias profissões. E vejam bem, eu não sou contra nada disso. Acho que cada um luta com as armas que tem. Minha única ressalva seria para aqueles casais que estão juntos pelos motivos errados e ainda acham que é possível que algo que venha de fora, salve seu relacionamento.

Agora, porque será que não existe nenhum auxilio nem apoio para quem está sozinho? Nem eu mesma sei a resposta, talvez seja até algo cultural, pois já crescemos e somos educados acreditando que só existe felicidade plena “a dois”. Prestem atenção nisso, pois talvez não seja bem assim.  Será que para ser feliz não é preciso independência emocional antes de qualquer tipo de relacionamento? É exatamente nesse ponto que quero chegar: A felicidade vem de dentro para fora e não de fora para dentro. Parece clichê o que vou falar, mas ninguém é feliz com alguém se não for capaz de ser feliz sozinho. Porque a felicidade é um estado de espirito que não depende de terceiros. Não podemos depositar no outro a nossa felicidade. Isso provoca uma dependência nociva ao ser humano.

Ser feliz com alguém deve ser algo natural que não dependa de nada que venha de fora. Sabem aquela sensação de felicidade que não importa o que estamos fazendo nem onde estamos? É isso que devemos sentir ao lado da pessoa que está ao nosso lado. Se precisar de algo que venha de fora é porque não é verdadeiro.

Eu me considero uma pessoa feliz no sentido geral da palavra, pois sou feliz sozinha e quando estou com alguém. Pois eu fico com a pessoa enquanto me sinto feliz. Por isso é fácil ficar sozinha novamente quando percebo que não estou mais sentindo aquela felicidade ao lado de alguém. Agora quem já não é feliz sozinho irá passar a vida toda procurando a felicidade nos outros e muita vezes, poderá chegar ao ponto de procurar em várias pessoas ao mesmo tempo. Sem sucesso!

Luana Gaúcha

Oi meus amores!

Adorei a receptividade dos meus clientes queridos na minha chegada, semana passada.

Um cliente very special,  já veio me ver segunda de manhã cedinho, tive que madrugar para vir para Joinville.

Teve outro que veio trazer meu presente de aniversário atrasado, adoro!!!

Depois eu e a Mika resolvemos brindar minha volta com um espumante delicioso. Fizemos muitos programas divertidos.

Teve até um cliente em que a Mika se empolgou e arrastamos a cama pelo quarto, nunca vi nada igual. A cama foi parar do outro lado quarto e só parou porque ele segurou com os pés, acho que ficou assustado. Ainda bem que não quebrou.

Conheci alguns clientes novos também nesta semana que passou. Atendi um cliente num hotel que estava me esperando com vinho, foi muito gostoso, fiquei com ele até muito tarde. Troquei muitas ideias sobre viagens com vários clientes , pois tinha tanta coisa para contar.

Acho tão legal que tem pessoas que ainda nem conheço, mas já participam do meu dia-a-dia pelo site. E tem aqueles que conheço há tanto tempo mas que continuam me acompanhando, sempre demonstrando carinho e amizade com pequenas atitudes que fazem a diferença e me deixam mais feliz com a minha profissão. E digo isso sem problema algum, pois não estou “nessa vida” como dizem as pessoas preconceituosas que não tem entendimento sobre a minha profissão. Eu faço meu trabalho com muito prazer, pois me proporciona liberdade e independência.

Nesta viagem eu tive tempo suficiente para repensar minha vida e decidir o que é importante, de fato. Acabei entendendo o que eu realmente busco, e o que não importa mais  para mim. Portanto preparem-se porque de agora em diante só farei o que gosto e o que quero, sem me preocupar com coisas pequenas. E algo que eu quero muito é continuar levando a vida dessa forma e não, eu não tenho planos de parar!! Pois eu realmente sou feliz com a minha vida e não tenho motivos para reclamar de nada. Afinal, porque eu teria???

Amores! Eu e a Mikaella estamos comemorando minha volta com champagne..

Venham comemorar conosco! 2014-09-16 19.24.34admin-ajaxFoto tirada pelo primeiro cliente que participou da nossa comemoração, meu querido e gatíssimo Beto! beijos Luana Gaúcha

 

20140910_222602Oi amores!

Não consegui mais escrever depois que sai de Londres. Pois fui para Dublin e lá a noite é mais agitada então eu chegava exausta no hotel. Agora estou em Paris. Só queria dar um sinal de vida e dizer que comprei calcinhas lindas em Paris para usar em Joinville. Assim que tiver um tempinho conto tudo que aconteceu desde sábado, onde parei de escrever.

Tirei uma fotinho da vista do meu quarto no hotel….Agora vou dormir que aqui são 23:30 e estou moída de tanto caminhar…rs.

.

.

.

 

 

 

 

 

Quando eu penso que já vivi todas as emoções possíveis da viagem, experimento sensações diferentes. Londres, para mim foi um choque cultural positivo, desde a chegada no aeroporto. Fico impressionada com a atitude das pessoas, as quais, peço informação. Fazem tudo que podem pra ajudar, largam o que estão fazendo, e se não tem a informação, eles mesmo vão atrás para mim. Cheguei a ficar constrangida em alguns momentos. Aqui tudo funciona da maneira correta.  Hoje conheci uma brasileira, que trabalha no ônibus que faz o tour pela cidade, ela está em Londres há quatro anos e disse que realmente aqui é tudo diferente.

Fotinho na London EyeFotinho na London Eye

Fiquei deslumbrada também com tudo que conheci nesses dois dias: os palácios,, museus, a London eye (maior roda gigante do mundo). Assisti a troca de guarda da rainha, e ainda tirei foto com um guarda do Palácio. Ainda tem algumas coisas que quero fazer amanhã. Na verdade, a dica pra que vem a Europa é não se preocupar tanto em conhecer todos os pontos turísticos, porque realmente não dá tempo, então escolha os mais importantes, e o restante do tempo, caminhe e conheça a cidade por você mesmo. Pois o mais gostoso é isso, sentir a cidade. Passeando, olhando em volta, parando em qualquer lugar para comer e falar com as pessoas do local.

Dois dias em Bruges (Brugge)

Na terça (ontem) acordei e fui direto fazer o passeio pelos canais em Amsterdã. Um lindo passeio, pena que o guia só falava inglês, então eu pouco entendi, teve um momento que eu esqueci e fiz uma pergunta em Português, todo mundo parou e ficou olhando para a “louca”.rsrsrs….Os Europeus são muito corretos mas mostrar os dentes não é com eles. Devem estar me achando uma abobada que fica rindo de tudo…rsrs.

Depois do passeio, já estava na hora do meu chekk out no hotel. Corri para não pagar hora extra, pois eles cobram e aqui todo Euro economizado tem sua importância.

Era o momento de partir, não tinha vontade mas também queria conhecer Bruges e já havia pago o hotel. Então fui para a estação de trem, onde peguei o trem para Bruges, peguei o ticket, pedi informação de qual era o trem e entrei. Nem sabia que existia primeira e segunda classe, até que um fiscal do trem pediu meu ticket e me informou extremamente alterado que eu estava na primeira classe e meu ticket era para a segunda. Bem, como não entendi direito ele  começou a ficar vermelho de tão bravo e mde deu o maior esporro, foi quando resolvi  repetir com cara de pânico “ I don’t understand” umas três vezes até ele se acalmar e me ajudar a levar a mala para a segunda classe, que pasmem: mas era igual a segunda, absolutamente nada de diferente. Ai que vontade de mandar aquele fiscal tomar bem naquele lugar, hahahahah….mas ri muito sozinha da cara dele bufando.

Finalmente cheguei em Bruges, fui direto para o hotel deixar as malas e depois aproveitar para fazer o passeio de charrete que ainda daria tempo. Foi o suficiente para me encantar pela cidade, totalmente histórica, com seus canais e construções muito antigas. Acho que serão as fotos mais lindas!

Depois do passeio de charrete, fui para um barzinho na praça mesmo, com aquele visual encantador na minha frente. Experimentei uma comida típica, lógico né?! Com a cerveja deliciosa da Bélgica…

Fiquei conversando com os garçons até fechar, sou muito curiosa e fico fazendo mil perguntas sobre o lugar. Quando voltei para o hotel a cidade já havia se recolhido, mas não fiquei com medo de andar sozinha naquelas ruas estreitas, apesar do silencio.

Hoje acordei bem cedo, pois tinha pouco tempo para ir até o lago do amor, foi uma caminhada mais longa, mas valeu a pena. Um lugar mágico, onde os casais fazem juras de amor eterno, assim como em Veneza.

Depois fui almoçar num outro barzinho na praça, para fazer umas comprinhas ainda por ali, antes de seguir viagem para Londres.

Fui de trem da Eurostar para Londres, ele vai por um canal que passa por dentro do mar, achei incrível. Foi rápido, depois que saiu de Bruxelas,  apenas duas horas de trem e já estava em Londres. Que maratona até o hotel, mas cheguei. Bem divertido o pessoal da recepção, todos falavam um pouco de português ou espanhol. Cheguei exausta, ainda bem que aqui todos os hotéis tem banheira para relaxar.  Agora vou descansar porque amanhã tenho muitos passeios por aqui!!!blog